Tarsila do Amaral - Vida e Obra

Tarsila do Amaral (Capivari, 1 de setembro de 1886 — São Paulo, 17 de janeiro de 1973) foi uma pintora e desenhista brasileira e uma das figuras centrais da pintura brasileira e da primeira fase do movimento modernista brasileiro, ao lado de Anita Malfatti. Seu quadro Abaporu, de 1928, inaugura o movimento antropofágico nas artes plásticas.


Biografia:


Nascida em 1 de setembro de 1886, na Fazenda São Bernardo, em Capivari, interior de São Paulo, era filha de José Estanislau do Amaral Filho e de Lydia Dias de Aguiar do Amaral, e neta de José Estanislau do Amaral, cognominado “o milionário” em virtude da imensa fortuna acumulada em fazendas do interior paulista.


Seu pai herdou a fortuna e diversas fazendas, onde Tarsila e seus sete irmãos passaram a infância. Desde criança, fazia uso de produtos importados franceses e foi educada conforme o gosto do tempo. Sua primeira mestra, a belga Mlle. Marie van Varemberg d’Egmont, ensinou-lhe a ler, escrever, bordar e falar francês. Sua mãe passava horas ao piano e contando histórias dos romances que lia às crianças. Seu pai recitava versos em francês, retirados dos numerosos volumes de sua biblioteca.


Tarsila do Amaral estudou em São Paulo, em colégio de freiras do bairro de Santana e no Colégio Sion. E completou os estudos em Barcelona, na Espanha, no Colégio Sacré-Coeur, onde venceu vários concursos de ortografia. Desde cedo a pequena bela jovem interessava-se pela arte.


Ao chegar da Europa, em 1904, casou-se com André Teixeira Pinto Rosa. Logo o primeiro casamento da artista chegou ao fim. A diferença cultural do casal era grande. O marido se opunha ao desenvolvimento artístico de Tarsila, que se separou e conseguiu a anulação do casamento anos depois.


Carreira:


Começou a aprender pintura em 1917, com Pedro Alexandrino Borges. Mais tarde, estuda com o alemão George Fischer Elpons. Em 1920, viaja a Paris e frequenta a Academia Julian, onde desenhava nus e modelos vivos intensamente. Também estudou na Academia de Emile Renard.


Apesar de ter tido contato com as novas tendências e vanguardas, Tarsila somente aderiu às ideias modernistas ao voltar ao Brasil, em 1922. Numa confeitaria paulistana, foi apresentada por Anita Malfatti aos modernistas Oswald de Andrade, Mário de Andrade e Menotti Del Picchia. Esses novos amigos passaram a frequentar seu atelier, formando o Grupo dos Cinco (Arte Moderna Brasileira)Grupo dos Cinco.


Em janeiro de 1923, na Europa , Tarsila se uniu a Oswald de Andrade e o casal viajou por Portugal e Espanha. De volta a Paris, estudou com os artistas cubistas: frequentou a Academia de Lhote, conheceu Pablo Picasso e tornou-se amiga do pintor Fernand Léger, visitando a academia desse mestre do cubismo, de quem Tarsila conservou, principalmente, a técnica lisa de pintura e certa influência do modelado legeriano.


Em 1924, em meio à uma viagem de "redescoberta do Brasil" com os modernistas brasileiros e com o poeta franco-suíço Blaise Cendrars, Tarsila iniciou sua fase artística “Pau-Brasil”, dotada de cores e temas acentuadamente tropicais e brasileiros, onde surgem os "bichos nacionais"(mencionados em poema por Carlos Drummond de Andrade), a exuberância da fauna e da flora brasileira, as máquinas, trilhos, símbolos da modernidade urbana.


Abaporu
Casou-se com Oswald de Andrade em 1926 e, no mesmo ano, realizou sua primeira exposição individual, na Galeria Percier, em Paris. Em 1928, Tarsila pinta o Abaporu, cujo nome de origem indígena significa "homem que come carne humana", obra que originou o Movimento Antropofágico, idealizado pelo seu marido.


Sol Poente
Em julho de 1929, Tarsila expõe suas telas pela primeira vez no Brasil, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo ano, em virtude da quebra da Bolsa de Nova York e da consequente crise econômica, Tarsila e sua família de fazendeiros sentem no bolso os efeitos da crise do café. Ainda em 1929, Oswald de Andrade deixou Tarsila para ficar com a revolucionária Patrícia Galvão.


Em 1930, Tarsila conseguiu o cargo de conservadora da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Deu início à organização do catálogo da coleção do primeiro museu de arte paulista. Porém, com o advento de Getúlio Vargas e com a queda de Júlio Prestes, perdeu o cargo.


A Lua
No Brasil, por participar de reuniões políticas de esquerda e pela sua chegada após viagem à URSS, Tarsila é considerada suspeita e é presa, acusada de subversão. Em 1933, ao pintar o quadro “Operários”, a artista passa por uma fase de temática mais social, da qual são exemplos as telas Operários e Segunda Classe. Em meados dos anos 30, o escritor Luís Martins, vinte anos mais jovem que Tarsila, passa a ser seu companheiro constante.


Últimas Décadas: 60 e 70


Em 1965, foi submetida a uma cirurgia de coluna que a deixou paralítica, permanecendo em cadeira de rodas. Em 1966, Tarsila perdeu sua única filha, Dulce, que faleceu de um ataque de diabetes. Nesses tempos difíceis, Tarsila declara, em entrevista, sua aproximação ao espiritismo.


Rede Feroviária
A partir daí, passa a vender seus quadros, doando parte do dinheiro obtido a uma instituição administrada por Chico Xavier, de quem se torna amiga. Ele a visitava, quando de passagem por São Paulo e ambos mantiveram correspondência.


Manaca
Tarsila do Amaral, a artista-símbolo do modernismo brasileiro, faleceu no Hospital da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, em 17 de janeiro de 1973. Foi enterrada no Cemitério da Consolação de vestido branco, conforme seu desejo.












  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

33 comentários:

mayana disse...

que legal ne
kkk kkkkk kk

kkk kkkkk kk


kkk kkkkk kk

Michelle Clemente disse...

Amei um máximo :)

Suellen Barbosa disse...

Mto bom.

tarsila disse...

legal

tarsila disse...

eu achei muuuuuuuito legal copiei tudo sobre o tema no meu caderno

Lifeer disse...

legal :)

Lifeer disse...

legal :)

edna rhogeres disse...

gostaria de saber mais sobre a história da arte.

edna rhogeres disse...

ache o maximo terem me asseitado curti muito!!

edna rhogeres disse...

achei o máximo vcs terem me asseitado

edna rhogeres disse...

amo muito tudo isso!!!!!!!!!

katarina disse...

e adorei suas obras tasila do amarau.............

felipinho disse...

euu tambeim gosteii palmas pra elaa !!!!!

leobolgatão disse...

isso é bom saber sabia

leobolgatão disse...

ela foi uma gerreira quem concorda comigo

tarsila do amral disse...

eu vou tem quer fazer um dever da tarsila do amaral falando sobre vida e obra de tarsila mais sera que a historia de vida dela serve como liçao pra mim quem concorda comigo

someoca disse...

Parabens, ótimo artigo.

someoca disse...

Parabens, ótimo artigo.

brenda silva disse...

demais

Tawzinha disse...

Amei eu tinha que fazer uma releitura de uma obra dela e eu fiz

clarice disse...

Muito bom,achei tudo o que eu precisava.PARABÉNS

mayara disse...

que lindo

mayara disse...

que lindo

suellen disse...

Eu já fiz muitos deles não ficarão paresiados mas ficou Bonito !!:D

lenon agne disse...

valeu ajudou muito no trablho do colégio :)

lenon agne disse...

kkkkkkkk

Larissa Vilela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maristela gonçalves disse...

AMEI A HISTÓRIA DE VIDA E OBRAS DE TARSILA DO AMARAL.IREI ME APROFUNDAR MAIS SOBRE SUAS OBRAS QUE SÃO LINDAS, NÃO SOU EXPERT EM OBRAS DE ARTES MAIS ADMIRO MUITO.

Radija Carvalho disse...

tarsila na minha escola estou estudando sobre vc ja fiz o seu desenho do abaporu

ana karolyna disse...

ESTOU ESTUDADO SOBRE VC TARSILA NA ESCOLA SUA HISTORIA E MUITO LEGAL DE LER

Báah Reizk disse...

bom , bieber kiss

everton luis disse...

tuo pitando todos os desenho de tarsila de amaral

Giovanna Soares disse...

estou fazendo prova e sua historia é muito legal

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...